sábado , 16 dezembro 2017
Aprendizado por modelos

Aprendizado por modelos

“Ter filhos e educá-los não é uma missão, não é simples, mas a caminhada é repleta de amor, de alegrias, de risadas edificantes, de momentos inesquecíveis, de abraços apertados e de corações em sintonia. Isso não é possível colocar em um livro, só no coração de cada um de nós” (Weber, 2005)

O desejo de todo pai ou mãe para seu filho é o de que este se torne um adulto responsável, independente, ativo e munido de recursos internos que o possibilitem viver com qualidade. Lídia Weber, em seu livro “Eduque com Carinho”, nos coloca uma interessante questão a respeito da formação infantil: “Para educar uma criança, precisamos relembrar como fomos criados e como isso refletiu em nossas vidas”. Sem dúvida, uma forma de aprendizagem fundamental se dá através dos modelos que temos no decorrer de nossas histórias de vida. É possível imaginar, portanto, que os pais podem ser considerados a maior fonte de exemplos.

 

“Muitos pais… tiveram a sorte de ter pais intuitivos e sensíveis ou, ainda, se não os tiveram, conseguiram refletir e alterar sua história. Outros pais têm histórias difíceis e, às vezes, sem ter realmente consciência de sua história, acabam por repetir o comportamento inadequado dos pais com seus filhos.” (Weber, 2007)

 

Uma das formas de auxiliar na formação de adultos mais seguros e independentes é o exemplo coerente. Todos conhecem, no entanto, a velha, mas não eficaz máxima: “faça o que eu digo e não o que eu faço”. A coerência talvez esteja na fórmula: “faça o que eu digo e o que eu faço.”  Tão difícil quanto perceber os mistérios atrás de cada passe de mágica talvez seja colocar em prática a fórmula. Para isso, os pais podem lançar mão da parceria com diversos profissionais como educadores, psicólogos e psicopedagogos, ligados ao desenvolvimento global da criança, para auxiliá-los na percepção do que está em desacordo, buscando e treinando comportamentos alternativos.
Uma criança segura será, mais facilmente, um adulto feliz!

 

Palavras-chave: orientação familiar; desenvolvimento infantil; comportamento infantil

 

Tatiana Berta

Psicóloga e Psicoterapeuta Comportamental e Cognitiva

CRP Principal (06/93349)

CRP RS (07/20139)

Fone: (11) 8254.6237

Atendimentos em São Paulo: Rua Bela Cintra, 968, cj. 32 (Metrô Consolação, próximo à Av. Paulista)

O conteúdo do artigo é  informativo e não substitui a consulta com um Psicólogo.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>